Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Eventos’ Category

O Laboratório de Biologia Molecular e Genômica – DBG-CB está organizando os Seminários em Biologia Molecular e Genômica, com objetivo de divulgar as pesquisas científicas feitas na UFRN sobre essa temática, assim como criar mais um ambiente para discussão científica e estimular maior interação entre pesquisadores e estudantes. Os seminários ocorrerão em uma quinta-feira por mês, às 11h, no Anfiteatro das Aves-CB, confira a programação abaixo:

SEMINÁRIOS EM BIOLOGIA MOLECULAR E GENÔMICA

Horário – 11 h

Local – Anfiteatro das Aves – CB

Data Professor Título do seminário
13/08 Marcos Costa (ICE-UFRN)
Reprogramação de células somáticas em neurônios utilizando genes pró-neurais
17/09 Riva de Paula Oliveira (DBG-CB-UFRN) O papel de SKN-1/Nrf na resitência ao estresse oxidativo e degradação protéica no organismo Caenorhabditis elegans
15/10 Sandro José de Souza (ICE-UFRN) Evolução dos sítios de ligação a fatores de transcrição em humanos
12/11 Lucymara F Agnez Lima (DBG-CB-UFRN) Enzimas de reparo de DNA como reguladores transcricionais
10/12 Matheus Pedrosa (DFAR-CCS-UFRN) Biotecnologia aplicada ao desenvolvimento de novas moléculas terapêuticas
Anúncios

Read Full Post »

IVE_cart

IVEEACB

Inscrições:  https://sigaa.ufrn.br/…/publ…/extensao/consulta_extensao.jsf

Read Full Post »

Gostaríamos de convidar a comunidade acadêmica para a 1ª defesa de tese de doutorado inclusiva da UFRN, do programa de Pós-graduação em Bioquímica da UFRN, que ocorrerá no dia 28/08/2014, às 8h30, na Sala Juazeiro do Centro de Biociências. Esta defesa ocorrerá também com a presença de intérpretes de libras.

 

A doutoranda Nilmara de Oliveira Alves defenderá a tese intitulada “Os efeitos das queimadas na Amazônia em  nível celular e molecular” perante a banca composta pelos professores Elizeu Antunes dos Santos (DBq,UFRN), Gisela de Aragão Umbuzeiro (UNICAMP,SP), Judith Johanna Hoelzemann (CCET, UFRN),  Sandra de Souza Hacon  (FIOCRUZ,RJ) e Silvia Regina Batistuzzo de Medeiros (DBG, UFRN).

 

A ideia de fazer uma defesa inclusiva surgiu após participar de várias atividades desse tipo junto à CAENE e a Associação Síndrome de Down do RN e de chegar à certeza de que é necessário ultrapassar os muros formais da UFRN e fazer muito mais.

 

Acreditamos ser função da UFRN levar conhecimento para TODOS e como o tema desta tese é sobre poluição do ar (queimadas na região amazônica) e de seus efeitos à saúde humana terem importância para o conhecimento geral, realizamos uma parceria com a CAENE e com a Coordenação do Curso de Letras Libras, ambas da UFRN, para tornar esta defesa acessível, com a presença de intérpretes de libras, contribuindo, assim, para a formação de uma parcela ainda excluída da sociedade, os surdos.

 

Neste sentido, solicito ampla divulgação para que a comunidade dos surdos da UFRN e de fora dela se façam presentes.

 

Ficando a disposição para todas e quaisquer outras informações que se façam necessárias, envio minhas melhores saudações.

 

Atenciosamente,

Silvia Batistuzzo

Orientadora

Professora do DBG

 

 

RESUMO DA TESE

A Amazônia representa mais da metade das florestas tropicais remanescentes no planeta e compreende a maior biodiversidade do mundo, correspondendo aproximadamente a 60% do território brasileiro. Entretanto, o desmatamento e as queimadas que ocorrem na região têm causado sérios prejuízos para a população que está sendo exposta. Diante desta situação, o objetivo do presente estudo foi avaliar os compostos químicos assim como os efeitos celulares e moleculares após a exposição ao material orgânico extraído do material particulado menor que 10 µm (MP10) na região Amazônica. Com relação à composição química, a análise dos n-alcanos mostrou um predomínio da influência antrópica no período de queimadas na região. Além disso, observou-se um predomínio dos monossacarídeos marcadores da queima de biomassa. Também foram identificados os Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA) e os seus derivados nas amostras coletadas na Amazônia. Os dados das concentrações dos HPA permitiram calcular o BaP-equivalente e observou-se que o dibenzo(a)antraceno contribui com 83% para o potencial risco carcinogênico. Já para o potencial risco mutagênico, o benzo(a)pireno é o HPA que apresenta uma maior contribuição nesta análise. Pode-se destacar que o reteno foi o HPA mais abundante. Este composto foi considerado genotóxico, além de causar morte por necrose nas células estudadas.  Nas análises biológicas, os dados mostraram que o MP10 orgânico é capaz de causar alterações genéticas tanto em células vegetais como em células do pulmão humano. Estes danos levaram a uma parada na fase G1 no ciclo das células expostas, aumentando a expressão das proteínas p53 e p21. Além disso, o MP causou morte celular por apoptose, aumentando a  marcação da histona gama-H2AX. Com resultados bem evidentes, o MP inalável também causou morte por necrose nas células do pulmão humano. Diante destes resultados, é importante enfatizar a importância da redução e um melhor controle da queima de biomassa na região Amazônica. Afinal, como descrito recentemente pela Organização Mundial de Saúde, pode-se afirmar que a redução da poluição do ar poderá salvar milhões de vidas.

Read Full Post »

Defesa de Doutorado

DISCENTE: ANA HELENA SALES DE OLIVEIRA
DATA: 25/08/2014
HORA: 14:30
LOCAL: Sala Carl Peter von Dietrich

 

TÍTULO:

ANÁLISE PROTEÔMICA DO HIPOCAMPO CEREBRAL DE RATOS INFECTADOS COM MENINGITE PNEUMOCÓCICA EM RESPOSTA À TERAPIA ADJUVANTE COM VITAMINA B6

 

RESUMO:

A Meningite Bacteriana (MB) causada pela infecção por Streptococcus pneumoniae está associada às altas taxas de morbidade e mortalidade. Cerca de 30% dos pacientes infectados chegam a óbito e mais da metade dos sobreviventes apresentam sequelas neurológicas permanentes. Apesar da eficácia do tratamento com antibióticos, a resposta inflamatória do hospedeiro contra a meningite pneumocócica é a principal causa de apoptose no hipocampo, a qual está associada com neurodegeneração. A vitamina B6 é uma molécula que pode atuar como antioxidante, moderar o acúmulo de metabólitos neurotóxicos e preservar as reservas energéticas da célula. Assim, o alvo deste estudo foi investigar a efeito do tratamento adjuvante com vitamina B6 no perfil de expressão proteica da região do hipocampo cerebral através da abordagem proteômica, usando o modelo animal para meningite pneumocócica. Ratos com onze dias de vida foram infectados com 3×106 ufc/mL de S. pneumoniae e selecionados aleatoriamente para o tratamento com vitamina B6 ou tampão salino (placebo) como controle. Logo após, o conteúdo total de proteínas foi extraído do hipocampo e submetido ao 1D-SDS-PAGE para a digestão em gel por tripsina, seguido da separação e análise dos peptídeos por espectrometria de massas em UPLC-ESI-MS/MS. Os dados coletados foram processados usando o Mascot Destiller e o Daemon, seguido de validação por identidade biológica no Scaffold. As proteínas identificadas neste trabalho que estão envolvidas nos processos de inflamação e apoptose (Anxa1, S100-A9, CaM, MARCKS, MIF, Tk1, VILIP-1, VAMP3, STMN1, AFP e HPX) foram identificadas apenas no grupo placebo. No grupo submetido ao tratamento foram identificadas proteínas relacionadas ao metabolismo energético (PGI, NSE, AldoA e CS), envolvimento com citoesqueleto (EF1α, CRMP-1 e TUBA1A) e envolvimento com íons de cálcio (CR, Syt1 e Canx). Entretanto, proteínas relacionadas à atividade antioxidante como Prx1 e SOD1, foram identificadas no grupo tratado e no grupo placebo, respectivamente. Esses resultados sugerem que a vitamina B6 tem efeitos neuroprotetores através da modulação da expressão de proteínas e é um potencial candidato ao desenvolvimento de protocolos para atenuar os processos degenerativos do hipocampo cerebral durante a neuroinflamação induzida pela meningite bacteriana.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente –  LUCYMARA FASSARELLA AGNEZ
Interno –  ADRIANA FERREIRA UCHOA
Externo à Instituição – CELIA MARIA MACHADO BARBOSA DE CASTRO – UFPE
Externo ao Programa – MARCOS ROMUALDO COSTA
Externo à Instituição – TIRZAH BRAZ PETTA LAJUS

 

Read Full Post »

Defesa de Mestrado

DISCENTE: SINARA CARLA DA SILVA ARAÚJO
DATA: 22/08/2014
HORA: 14:30
LOCAL: Sala Carl Peter von Dietrich

TÍTULO:

Caracterização de biossurfactantes derivados de bibliotecas metagenômicas.

 

RESUMO:

Os microrganismos apresentam uma imensa diversidade genética e estão presentes em toda biosfera, no entanto cerca de 1% das espécies pode ser cultivada por técnicas laboratoriais padrão. A metagenômica tornou possível o acesso direto ao genoma microbiano derivado de amostras ambientais, utilizando técnicas independentes de cultivo. A metodologia permite obter informação funcional de proteínas, assim como a identificação de potenciais produtos com interesse biotecnológico e de novos recursos biológicos industrialmente exploráveis, a exemplo novas soluções para impactos ambientais. Áreas contaminadas com petróleo são caracterizadas por um grande acúmulo de hidrocarbonetos e surfactantes são utilizados para sua biorremediação. Sendo assim, a abordagem metagenônima foi utilizada para selecionar genes envolvidos no processo de degradação e biossurfactação de hidrocarbonetos. Em um trabalho anterior, o DNA ambiental (eDNA) foi extraído de amostras de solo coletadas em duas diferentes áreas (Caatinga e rio salino) do Rio Grande do Norte (Brasil), as bibliotecas metagenômicas foram construídas e analisadas funcionalmente. Os clones capazes de degradar o óleo foram avaliados quanto à capacidade de sintetizar biossurfactante. O clone foi sequenciado e análise da sequencia revelou uma ORF com 897 pb, 298 aminoácidos e proteína de peso molecular próximo a 34 kDa. A busca por homologia no GenBank revelou similaridade com a sequência que codifica uma proteína hipotética de representantes da família Halobacteriaceae, que foram mostradas recentemente como produtoras de biossurfactantes. A presença da sequência codificante inserida e do fenótipo adquirido foram confirmadas. Primers foram desenhados e suas ORFs amplificadas por PCR. Em seguida, foram subclonadas em vetor de expressão pETDuet-1, contendo uma cauda de histidina, para expressão e posterior purificação da proteína de interesse. Os testes foram realizados para confirmação da atividade de biossurfactante e degradação de hidrocarbonetos e apresentaram resultados positivos. O ensaio de imunodetecção (western blot) com a utilização do anticorpo monoclonal Anti-His® confirmou a presença da proteína ambiental. Esse estudo foi o primeiro a relatar uma possível proteína com atividade biossurfactante obtida a partir de uma abordagem metagenômica.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente –  LUCYMARA FASSARELLA AGNEZ
Interno – DANIEL CARLOS FERREIRA LANZA
Externo à Instituição – VÂNIA MARIA MACIEL MELO – UFC

 

Read Full Post »

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte realizará entre os dias 16 a 18 de Julho de 2014 um novo curso de férias intitulado: “Genotoxicidade ambiental: O que é isso?”, na cidade de Lages Pintadas, RN, dentro da Rede Nacional de Educação e Ciência e com o apoio do Edital Novos Talentos da CAPES

Lages Pintadas é um município cujas águas de seu açude vem sendo estudada por professores do Departamento de Biologia Celular e Genética da UFRN e este curso de férias, visa retornar a população não só o que vem sendo feito na região, mas sobretudo, mostrar o pensar científico.

O curso será ministrado aos professores das escolas públicas e alunos do EJA do Município de Lages Pintadas, RN, e serão realizadas diversas dinâmicas de laboratório, a fim de transmitir de forma lúdica o pensamento da metodologia científica para responder às dúvidas sobre o problema ambiental da região e fazê-los se apoderarem do estudo feito na região.

Além disso, vamos também contar com a Ciência na Praça, um evento interativo aberto ao público que irá expor diversas apresentações sobre biologia celular e genética ambiental, entre outros, para toda a população.

Este evento conta com a participação de professores da UFRN, IFRN e FACISA, bem como de inúmeros alunos de graduação da UFRN, como monitores.

Mais informações pelos emails: sbatistu@cb.ufrn.br e/ou vamaral@ufrnet.br.

Banner Curso Lajes Pintadas

 

Read Full Post »

DISCENTE: RAYSSA KARLA DE MEDEIROS OLIVEIRA

DATA: 06/06/2014

HORA: 14:00

LOCAL: Sala Carl Peter von Dietrich

 

TÍTULO:

The APE1 AP-sites repair activity is required for global immune response signalization at cellular models of inflammation.

 

RESUMO:

Base excision repair (BER) proteins have been associated with functions beyond DNA repair. Apurynic/apyrimidinic endonuclease 1 (APE1) is multifunctional proteins involved in a plethora of cellular activities, such as redox activation of transcription factors, RNA processing and DNA repair. In this work, bioinformatics analyses, and experimental approaches were employed to investigate the mechanisms by which inhibition of the AP-endonuclease activity of APE1 by methoxyamine (MX) modulates inflammatory response. The results demonstrated that the LPS/MX treatment reduced the expression of cytokines, chemokines and tool like receptors (TLR); and down-regulated immune biological processes, such as macrophage activation, NF-kB, TNF-α and interferon pathways, without induce cellular death. The transcriptomic results suggested that the LPS/MX treatment induced mitochondrion dysfunction, ER stress and autophagy pathways, probably activated by commitment of cellular energetics and/or DNA damage accumulation. In addition, it is propose that DNA repair activity of APE1 is necessary for transcription of inflammatory genes, by the interaction with abasic sites on specific promoters and recruitment of transcriptional complexes during inflammatory signalization. This work provide a new perspective about the interaction between BER activity and inflammatory response modulation, and suggests a novel role of APE1 protein as a redox independent modulator of immune response.

 

MEMBROS DA BANCA:

Presidente – LUCYMARA FASSARELLA AGNEZ

SELMA MARIA BEZERRA JERONIMO

VIVIAN NOGUEIRA SILBIGER

Read Full Post »

Older Posts »